sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

QUÍMICA VERDE



Química verde é uma ciência relacionada ao meio ambiente. Foi introduzida nos Estados Unidos, pelo cientista Mark Harrison, da Universidade de Lehigh. Essa ciência basicamente tem o conceito de que os elementos químicos não podem degradar a natureza.






Pode ser utilizada em várias áreas como: reciclagem de materiais orgânicos, na despoluição de indústrias siderúrgicas e na construção dos chamados "prédios verdes": edíficios feitos com materias não-poluentes.
Com a devida porém tardia preservação do meio ambiente, é um assunto presente em diversas pautas de discussão. Econômicamente o meio ambiente foi colocado de lado pela recuperação econômica desta crise que atinge principalmente países do hemisfério norte (hemisfério que já consumiu até o limite dos seus recursos naturais) as commodities atraem novamente para a as riquezas naturais de outros países, afinal com as commodities tais paízes do nórdicos podem receber a matéria prima e revende-las a preços mais altos após a transformação em produtos industrializa-los.
Cada vez mais vemos ações de grupos como o Greenpeace, apenas para citar um dos mais conhecidos, contra a poluição e exigindo soluções para os males que já presenciamos as consequências.


A química sempre foi vista como uma grande ameaçadora do meio ambiente, por causa da poluição das águas e do próprio ar, tenta cada vez mais deixar de ser um problema e se tornar uma solução. Primeiramente, todos precisam entender que a Química está em tudo, em toda a parte e até em nós mesmos. As pessoas costumam associar coisas químicas a coisas ruins sem levar isso em consideração. A química verde é uma linha de pensamento que tem se difundido cada vez mais a fim de tornar a química aliada ao meio ambiente. Ela se baseia em 12 passos que visam à melhora dos processos químicos realizados por indústrias. Os 12 passos:


01-Prevenção: Evitar ao máximo pelo estudo das rotas de produção, a formação de subprodutos nocivos;

02-Eficiência: Transformar a maior parte dos reagentes utilizados em produto final.

03-Síntese segura: Estudar sínteses que não formem subprodutos nocivos e que toda sua condução seja segura.

04-Produtos seguros: O produto final também não deve ser nocivo ao meio ambiente;

05-Solventes seguros: Dar preferência a solventes cujo descarte possa ser feito sem impacto ambiental.

06-Integração de energia: Durante o processo, muita energia é gerada na forma de calor, essa energia pode ser usada dentro do próprio processo para reduzir o gasto de energia da indústria.

07-Fontes renováveis: As matérias primas devem ser provenientes de fontes renováveis de preferência.

08-Derivados: Evitar a formação de derivados sintéticos.

09-Catálise: Dar preferência ao uso de catalisadores para acelerar à reação ao invés de gastar mais material para “empurrar” a reação para os produtos;

10-Biodegradável: Já foi falado do produto seguro ao meio ambiente, nesse caso é o produto que pode ser reciclado pela própria natureza.

11-Análise da poluição: Os efluentes saídos da indústria bem como o material que circula dentro da indústria deve ser continuamente analisado para detectar prontamente qualquer tipo de contaminação.

12-Química segura contra acidentes: Todos os passos da implementação da indústria devem ser tomados a fim de evitar acidentes de grandes proporções que provocarão contaminação e, dependendo da magnitude, até mesmo perdas humanas.

Nem todas as indústrias seguem todos esses passos, mas tudo caminha para que no futuro, todas trabalhem dessa maneira.
A criação de códigos e regulamentações garantem o cumprimento dessas normas.


sábado, 12 de janeiro de 2013

LEI LUCIANO HUCK

 Luciano Huck contrata escritório da mulher de Cabral e ganha de presente decreto do governador que libera sua casa em Angra. 
Mais um caso escandaloso envolve o governador Sérgio Cabral e sua mulher Adriana Ancelmo. É mais uma situação em que um cliente do escritório de sua mulher é beneficiado pelo governador Sérgio Cabral.
Desta vez envolve o apresentador da TV GLOBO, Luciano Huck. O artista tem uma mansão em Angra dos Reis , que foi construída de forma irregular e por isso responde processo movido pela prefeitura do município. 
Luciano Huck foi multado em R$ 50 mil pela Secretaria de Estado do Ambiente do Rio de Janeiro (SEA), por irregularidades em obras que ele realizou em Angra dos Reis, a 114 km da capital fluminense. O apresentador tem casa no local.
A multa se aplicou por duas intervenções no terreno: a construção de um muro com cerca de 10 metros e de diques para fazer uma praia artificial. O apresentador também recebeu uma multa de R$ 40 mil reais, a qual Luciano foi condenado a pagar pela Justiça Federal, por conta de ter colocado boias para delimitar espaços marítimos ao redor da casa-segundo informações as bóias ao redor da ilha, são meios para a criação de camarões. 





 
QUANTO MELHORES AS CONDIÇÕES FINANCEIRAS MELHORES SÃO AS CONDIÇÕES DE  PROCURAR SOLUÇÕES QUE VENHAM AO ENCONTRO DE NOVOS MEIOS DE CONSTRUÇÃO E NÃO TOMANDO POSSE DE UMA PEQUENA ILHA QUE DEVERIA SER DE TODOS, E DE MODO ALGUM FAZENDO DELA UMA COLÔNIAS.
Além do casal de apresentadores a mansão já hospedou célebres artistas dentre eles o ex-casal Ashton Kutcher e Demi Moore. Mas é de bom senso saber que não podemos criminalizar os ricos, para muitos esta seria a propriedade dos sonhos. Todavia nós devemos criminalizar a posse das ilhas do nosso litoral criando um ecossistema frágil e muitas vezes de áreas pequenas, aonde se torna mais fácil a aquisição e  criação de aparatos voltadas ao interesse do dono da ilha, como a construão de decks, barragens, desmatamento pois as construções a serem erguidas são casas de alto luxo e a destruição da nossa memória uma vez que estas áreas tem seu cenário modificado por colossos de concreto, madeira e dinheiro
Luciano Huck contratou o escritório de advocacia da mulher de Sérgio Cabral e ?coincidentemente?, o governador assinou um decreto que liberou as construções em Angra dos Reis e na Ilha Grande.

O decreto de Cabral é uma aberração tão grande, que ambientalistas o apelidaram de ?Lei Luciano Huck?,porque beneficiou o apresentador.
Hoje, o jornal Estado de S.Paulo publica a denúncia gravíssima. Mais uma denúncia que envolve negócios particulares da mulher de Sérgio Cabral com decisões tomadas pelo governador, que beneficiaram os clientes da esposa. Os jornais do Rio continuam ignorando o assunto.

O Ministério Público, estranhamente, diante de tantas evidências, denúncias e fatos comprovados, até agora não se manifestou. Os deputados vão pedir uma CPI para apurar a situação do Metrô, que é cliente da mulher de Cabral e teve sua concessão prorrogada por mais 20 anos pelo governador.
 
AGORA, COMEÇA A SE ENTENDER POR QUE O ESCRITÓRIO DA MULHER ADRIANA ANCELMO CRESCEU TANTO,DESDE QUE O SEU MARIDO SÉRGIO CABRAL ASSUMIU O GOVERNO. QUEM PRECISA DE CONTRATOS, DE DECRETOS, DE AUTORIZAÇÕES DO GOVERNADOR ENCONTROU O MELHOR CAMINHO, QUE VEM SENDO CONTRATAR O ESCRITÓRIO DE SUA MULHER.
DECRETO DE CABRAL FAVORECE 1ª DAMA E HUCK
O apresentador da Globo, Luciano Huck, teria sido beneficiado por um decreto editado pelo governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho (PMDB), que alterava a legislação da Área de Proteção Ambiental (APA) de Tamoios, na Baía de Ilha Grande. O apresentador, alvo de ação civil pública movida pelo município de Angra dos Reis em outubro de 2007 por supostos danos ambientais e construções irregulares em sua casa de veraneio, é representado pelo escritório de direito do qual é sócia a primeira-dama do estado fluminense, Adriana Ancelmo Cabral. A medida, cuja constitucionalidade é questionada no Supremo Tribunal Federal (STF) pela Procuradoria-Geral da República, beneficiaria proprietários de residências consideradas irregulares na região – caso de Huck e sua casa na Ilha das Palmeiras. Ambientalistas contrários às mudanças determinadas por Cabral se referem ao decreto como “Lei Luciano Huck”. Com informações do blog do Noblat.

por Felipe Nunes Weager.
Fonte:http://www.fabianojacob.com.br/2011/08/programa-fantastico-protege-luciano-huck-assim-como-governador-sergio-cabral-ja-fez/
Fonte:http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=126381 
 Fonte:http://www.abril.com.br/noticias/brasil/mulher-cabral-ajuda-tirar-casa-huck-irregularidade-529359.shtml 

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

CASA DE PRAIA

Casas de veraneio fazem parte dos desejos de muitas pessoas ter um recanto para o qual se pode fugir e esquecer temporáriamente dos problemas.
Mansões em condomínios fechados, piscinas com vista para o mar disputando com as areias e águas salgadas do oceano a pouca distância.
Tudo isto permeia a imaginação da maioria das pessoas quando se trata deste assunto, além de serem bombardeados todos os dias com as casas cenários das mais diversas mídias, quem nunca se pegou pensando como é a casa do Charlie Harper de Two and a Half-Men que fica em "MALIBÚ".

Esta realidade já existe a muito tempo para as classes sociais mais ricas; amostra disso  são as ilhas privadas como as de Angra dos Reis, Paraty, etc, aonde milionários podem desfrutar da natureza criada para todos mas que é agora de uso particular.
Mas aos poucos as classes sociais fora do topo desta pirâmide, conseguem consquistar seu imóvel em áreas litorâneas.

Condomínios de apartamentos, condominíos de residências, casas geminadas, e casas comuns de médio porte ou seja construções para os mais diferentes perfís, são na maioria de proprietários que não residem no litoral, frequentando a cidade em alta temporada e feriados.

Obviamente o mercado imobiliário não demorou a perceber e iniciar a especulação deste nicho de mercado.
No litoral sul prédios dominam a orla por kilômetros , com um padrão construtivo que se repete e que em comum existem calçadões, quiosques,palmeiras e ciclovias.

 
Fazendo das economias locais reféns do público flutuante que ocupam as construções vagas e consumindo os estoques e serviços das cidades,sobrecarregando a utilização da infra-estrutura local.

No litoral norte algumas situações se repetem como casas de veraneio para uso em ocasiões de alta temporada e a sobrecarga da infra-estrutura local. Entretanto na paisagem está o fator diferencial que encontramos nos morros de exuberante mata atlântica aonde a ocupação humana por meio de estradas e edificações ficam camufladas no meio das copas das árvores.
Mas mesmo dentro desta imensa massa verde alguns centros comerciais e pequenas estradas que serpenteiam pelo morro acima aonde estão os habitantes locais.

Caso houvesse a permissão dos órgãos devidos, não seria díficil termos não só o solo das áreas paralelas a praia mas também teríamos as águas loteadas afinal aquilo que belo adquire um preço, e o preço gera a posse, e isso acaba por dar o suposto direito de fazer o que bem quiser com sua posse.
Em  ambos os casos o ecossistema sofre com sobrecargas, poluição, e ampliação da massa edilicia. 
Irônia é perceber que toda natureza desejada e alí existente é na mesma proporção evitada. As construções são feitas para oferecer uma vista da natureza, mas não querem estar na natureza pois do contrário não teriamos estradas pavimentadas, áreas de lazer totalmente calçadas ou com um gramado tão natural quanto uma plantação de soja no parque do ibirapuera, desmatam a natureza para construir um belo deck de madeira dando um toque praiano as edificações, ou seja cortar madeira para ter um bom lugar para usar madeira, querer ter uma vista panorâmica da natureza impermeabilizando centenas de metros quadrados do fértil solo que nos deu a sua exuberância "mostra da racionalidade humana".  

Mesmo num espaço que oferece um espaço para completo lazer, ainda se fez necessário adentrar a mata e no espaço dela levar concreto, vidro, cidade e proteção do contato com a natureza pelo paisagismo como nível intermediário.
CASA PROJETADA POR MÁRCIO KOGAN EM PARATY ENQUADRAMENTO DA PAISAGEM              01 ESPAÇO CONSTRUÍDO - 02 PAISAGISMO - 03 MATA ATLÂNTICA
O litoral que foi um dia berço da civilização euro-brasileira, até alcançarem o planalto, aonde o café viria a trazer fôlego a economia brasileira.

Os tempos mudaram mais ainda continuamos com nossas ações impactantes a arranhar nossas serras escarpadas como  carangueijos.

Conte-nos o modo como você entende está necessidade de muitos em conquistar a sua casa na praia ou campo como síntese da prosperidade?


 
 
         

domingo, 5 de outubro de 2008

SINTONIA











Esportes praticados em sintonia com a natureza acabam por virar um estilo de vida tamanha é a adoração dos seus praticantes por ela. Esportes sempre costumam causar paixões nas pessoas mas não causam o impacto que a beleza da natureza causa na alma humana. Como animais que somos e sempre seremos o convivio com a natureza é fundamental, com o crescente emparedamento das nossas vidas o contato com o meio ambiente vem se enfraquecendo deixando-nos extaseados aos simples contato com uma horta praça ou parque nos deixam completamente boquiabertos com uma simples praia ainda intocada. Talvez os esportes e o turismo de aventura se tornem uma importante ferramenta no combate a destruição ambiental.
Quando o homem aprender que a natureza faz parte da nossa própria natureza humana aí sim a natureza podera respirar sossegada.

sábado, 27 de setembro de 2008

IBAMA





IBAMA

Muito de como o Brasil percebe a proteção e conservação ambiental atualmente foi consolidado pelo Ibama. O instituto trouxe o assunto para a pauta do dia e encontra-se no imaginário do brasileiro como o grande guardião do meio ambiente. Sua forte marca é reconhecida até mesmo onde a presença do Estado é escassa. Ela significa que os recursos naturais devem ser utilizados com racionalidade para obter-se o máximo de desenvolvimento, porém, com o máximo de conservação e preservação, visando sempre sua manutenção para as gerações futuras.
Há exatos 19 anos, em 22 de fevereiro de 1989, foi promulgada a Lei nº 7.735, que cria o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Nesse momento, a gestão ambiental passou a ser integrada. Antes, havia várias áreas que cuidavam do ambiental em diferentes ministérios e com diferentes visões, muitas vezes contraditórias. A responsável pelo trabalho político e de gestão era a Secretaria Especial do Meio Ambiente (Sema), vinculada ao Ministério do Interior.
A Sema teve um papel de articulação muito importante na elaboração da Lei 6938/81, que dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, em vigor até hoje. A lei estabelece o Sistema Nacional de Meio Ambiente (Sisnama) e o Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), único conselho com poder de legislar. A Política, além de objetivar a preservação, a melhoria e a recuperação da qualidade ambiental, visa também assegurar o desenvolvimento econômico, mas com racionalidade de uso dos recursos naturais. Foi um grande avanço, principalmente numa época onde a visão que existia era a de desenvolvimento a qualquer preço. Quando a Constituição Federal de 1988 foi promulgada, essa lei foi a única a ser recepcionada na íntegra. Por outro lado, sua efetivação foi construída aos poucos.
SITE:
www.ibama.gov.br

PROJETO TAMAR








PROJETO TAMAR


Até o final da década de 70: nenhum trabalho de conservação marinhaAs tartarugas marinhas já haviam sido incluídas numa lista de espécies ameaçadas de extinção, mas estavam desaparecendo rapidamente, por causa da captura incidental em atividades de pesca, da matança das fêmeas e da coleta dos ovos na praia. Houve reação e denúncias, inclusive com repercussão internacional.
1976 a 1978: primeiras expedições a Fernando de Noronha, Atol das Rocas e AbrolhosO objetivo era desbravar áreas marinhas remotas, denunciar a degradação e alertar para a necessidade de conservação. Entre os realizadores dessas primeiras expedições, a maioria estudantes de Oceanografia da Universidade Federal do Rio Grande, estavam aqueles que integrariam, anos depois, a primeira equipe do Projeto TAMAR.
1980: criação do Projeto TAMAR O IBDF criou o Projeto TAMAR, com o objetivo de salvar e proteger as tartarugas marinhas do Brasil. Como primeira ação, foram enviados questionários a prefeituras, universidade, delegacias regionais do IBDF e colônias de pescadores, de todas as localidades, do Oiapoque ao Chuí. Pesquisadores levaram dois anos percorrendo o litoral brasileiro para a identificação das espécies, locais de desova, período de desova e os principais problemas relativos à exploração.
1981: Caravana RolideiA equipe se auto-intitula “Caravana Rolidei”, inspirada no filme By By Brasil, de Cacá Diegues, premiado no Festival de Cannes. A Caravana realiza as primeiras iniciativas de conscientização das comunidades e registra as primeiras imagens de uma tartaruga marinha em comportamento de desova no Brasil.
1982: monitoramento da temporada reprodutiva nas três primeiras bases Depois de identificados os principais pontos de desova, o trabalho de conservação começou pela Bahia (Praia do Forte), Espírito Santo (Comboios) e Sergipe (Pirambú). No dia 18 de janeiro, o TAMAR marca uma tartaruga marinha pela primeira vez no Atol das Rocas.
1983: primeiro patrocínio da Petrobras Os próprios oceanógrafos procuraram a Petrobras, no Rio de Janeiro, apresentando todo o levantamento já feito, o trabalho em curso, função e objetivos do Projeto. A empresa adotou a idéia e passou a abastecer os jeeps. Depois, contratou três pescadores, os estagiários, e nunca mais os laços entre o TAMAR e a Petrobras se desfizeram.
1988: criação da Fundação Pró-TAMARAliada imprescindível, a Fundação é uma entidade sem fins lucrativos criada para apoiar o trabalho de conservação das tartarugas marinhas, responsável por parte das atividades na área administrativa, técnica, científica, pela captação de recursos junto à iniciativa privada e agências financiadoras, e pela gestão do programa de auto-sustentação. Saiba mais...
1990: criação do Centro TAMAR-ICMBio e da primeira Confecção Pró-TAMAR, em Regência/ES
1992: 1 milhão de filhotes protegidos e liberados ao mar
1995: 2 milhões de filhotes protegidos e liberados ao mar
1999: 3 milhões de filhotes protegidos e liberados ao mar
2000: 4 milhões de filhotes protegidos e liberados ao mar
2003: 5 milhões de filhotes protegidos e liberados ao mar2005: 7 milhões de filhotes protegidos e liberados ao mar
2007: 8 milhões de filhotes protegidos e liberados ao mar


SITE:




Site infantil:


SOS MATA ATLÂNTICA




A Fundação SOS Mata Atlântica é uma organização não-governamental. Entidade privada, sem vínculos partidários ou religiosos e sem fins lucrativos, foi criada em 1986 e tem como missão defender os remanescentes da Mata Atlântica, valorizar a identidade física e cultural das comunidades humanas que os habitam e conservar os riquíssimos patrimônios natural, histórico e cultural dessas regiões, buscando o seu desenvolvimento sustentado.


A humanidade estava apenas iniciando seu despertar para o desenvolvimento com respeito aos direitos das futuras gerações, ainda na década de 80, mas as primeiras respostas para garantir o cuidado e a proteção ao meio ambiente já começavam a ser dadas. É nesta década que o mundo assiste aos protestos de manifestantes contra petroleiros e usinas atômicas, enquanto acompanha a incipiente construção do conceito de desenvolvimento sustentável.De um lado, vai-se gerando a idéia de desenvolvimento à longo prazo, com a difusão do termo 'sustentável' pelo relatório Brundtland, no âmbito da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento da ONU (Organização das Nações Unidas), em 1983. De outro, amplia-se a organização da sociedade em torno da criação de ONGs e a participação para a tomada de decisões sobre seu futuro comum.No Brasil, o processo de abertura política acarreta em conquistas inéditas: do direito ao voto, da aprovação da Lei de Interesses Difusos, com o fortalecimento do Ministério Público, e da possibilidade de participação nas questões ambientais em instâncias públicas como os Conselhos de Meio Ambiente, até a Assembléia Nacional Constituinte que, em 1988, legitima um novo modo de garantir a cidadania e os direitos das futuras gerações brasileiras.No conjunto de transformações e oportunidades colocadas pelos 80, um grupo de pessoas que já atuavam em outras entidades, dentre cientistas, empresários, jornalistas e defensores da questão ambiental se aproxima e lança as bases para a criação da primeira ONG destinada a defender os últimos remanescentes de Mata Atlântica no país, a Fundação SOS Mata Atlântica. O ideal de conservação ambiental da entidade, criada em 1986, associa-se ao objetivo de profissionalizar pessoas e partir para a geração de conhecimento sobre o bioma. A proposta representa também um passo adiante no amadurecimento do movimento ambientalista no país.
SITE: